Saúde emocional: abraçar mais pode ajudar no processo de cura

240

Por g1 PR e RPC Noroeste

 

Saúde emocional: abraçar mais pode ajudar no processo de cura

Ao abraçar alguém você não só divide um mesmo gesto, como também compartilha um processo de cura. Isto porque, segundo especialistas, o abraço é capaz de aliviar dores emocionais.

Como explica o psiquiatra Pedro Juliani, a relação do abraço com a saúde mental acontece desde o início da vida, através do contato entre mãe e filho.

A partir de então, o ato de abraçar, mesmo que pessoas não tão próximas, sempre vai remeter ao abraço maternal, que causa, principalmente, a sensação de conforto e pertencimento.

“O abraço tem, além do poder de aliviar dores emocionais, tem o poder também de aliviar outras dores desagradáveis que temos ao longo da vida”, ressalta o psiquiatra

A psicóloga Maria Amanda Andrade ressalta que pessoas com dificuldades para expressar afeto, podem enfrentar traumas de infância.

A internet, por sua vez, tende a escancarar ainda mais os dilemas enfrentados por estas pessoas na hora de criar relações verdadeiras ao longo da vida.

Isto porque, nos dias atuais, é possível declarar amor através de telas, o que, para a psicóloga, causa um afastamento ainda maior daqueles que deveriam estar próximos.

Saúde emocional: abraçar mais pode ajudar no processo de cura — Foto: RPC

Saúde emocional: abraçar mais pode ajudar no processo de cura — Foto: RPC

Conforme explica o psiquiatra Pedro Juliani, o sentimento de conforto causado por este ato é explicado devido aos níveis de cortisol e norepinefrina, hormônios do estresse, são reduzidos, ao mesmo tempo que os níveis de oxitocina, hormônio do prazer e do bem-estar, aumentam após um abraço

Acolher o próximo e a si mesmo

 

Tiago Santos Pereira é pastor há 6 anos. Ao trabalhar na igreja, ele entendeu que o abraço é “uma troca de energia” extremamente necessária quando o assunto trata-se de oferecer acolhimento ao próximo.

Segundo ele, quando se abraça uma pessoa em um momento difícil, é como se conseguisse neutralizar, nem que seja por um instante, aquele sentimento ruim que o outro está sentindo.

“É uma forma de acolher o outro e mostrar que você se importa. Dentro da religião o abraço e o acolhimento é fundamental em qualquer processo, seja como cura e também de gratidão e amor”, comenta.

 

Para a psicóloga, é de extrema importância retomar hábitos antigos para que as pessoas possam voltar a se conectarem umas com as outras através de abraços e tantos outros gestos de carinho e, assim, acelerar o processo de cura.

Como ressalta Pedro Juliani, “o abraço é um remédio sem restrições de dosagem, use esse remédio sem medo”.  G1

Artigo anteriorEnvelhecimento da população vai demandar mais vacinas para idosos
Próximo artigo