Cleptmania por Cidinha Pascoaloto

192

Cleptomania

(por Cidinha Pascoaloto)-foto

É o impulso irresistível de roubar objetos independente de seu valor e geralmente ela não precisa do objeto. Sente prazer ao roubar, mas depois vem a culpa e o medo de ser preso. Acomete tanto homens como mulheres. É Mais comum em mulheres. Cleptomania é um transtorno de controle de impulso por isso a pessoa rouba, e pode causar dor emocional para o paciente e para seus entes queridos. Episódios de cleptomania geralmente ocorrem de forma espontânea. A maioria das pessoas com cleptomania roubam em locais públicos como lojas e supermercados.

Alguns podem roubar de amigos ou conhecidos como em uma festa. Muitas vezes os itens roubados não têm valor para a pessoa com cleptomania. Os objetos são geralmente escondidos, doados para a família, amigos ou devolvido discretamente para o lugar de onde foram roubados.

Um cleptomaníaco pode até ter dinheiro necessário para comprar aquele objeto, mas roubá-lo provoca sensação de euforia prazerosa. A cleptomania é uma condição de saúde mental, não é uma falha de caráter. Ao contrário de ladrões “convencionais”, os cleptomaníacos não planejam seus furtos. A causa da cleptomania não é conhecida e pode ser tratada de forma eficaz com terapias cognitiva comportamental e medicação. O transtorno geralmente começa durante a adolescência entre 14 e 18 anos ou na idade adulta jovem, mas em casos raros, ela começa depois de 50 anos de idade.

Apesar do medo, humilhação ou constrangimento pode tornar difícil para a pessoa procurar tratamento para cleptomania, mas é importante buscar ajuda. Os indivíduos afetados frequentemente têm outros distúrbios mentais, tais como distúrbio bipolar, anorexia nervosa, bulimia nervosa, ou distúrbio da ansiedade. Se você perceber um comportamento com tendências de furtos em alguém próximo a você procure conversar com a pessoa para saber o que está acontecendo com ela.

Evite uma abordagem acusatória e explique que é comum que alguns indivíduos apresentem um comportamento igual o dele.

Cidinha Pascoaloto-Psicóloga-CRP 06/158174. Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) com foco no Luto, Depressão e Ansiedade Atendimento presencial e on-line, contato: (18) 99725-6418

 

Artigo anteriorNotícia boa: doutora Maria Lúcia Jorge de Souza Gonzaga é a nova médica formada pela Unimar
Próximo artigoFoco Pessoal: a entrevista da vez com a Engenheira Civil, Mariana Pereira da Silva