Médica que tem familiares em Dracena voa 8 km com “¨wingsuit

222

A “asa” permite o deslocamento rápido e preciso pelo céu

Juliana Vincenzi, cardiologista de Presidente Prudente, 39 anos, é praticante de paraquedismo e voo com “wingsuit” – roupa especial de paraquedismo que permite planar em queda livre.  A “asa” permite o deslocamento rápido e preciso pelo céu.  Paraquedista experiente ela aprendeu essa modalidade esportiva nos diversos cursos com instrutores especializados, em Piracicaba, em 2015. Paraquedista há 10 anos, Juliana tem 760 saltos no currículo, sendo 500 de wingsuit. As informação são do jornal O Imparcial.

Seu último voo de wingsuit foi no início do ano, em Boituva. Saltou de um avião a 4 mil metros de altitude e voou 8 km a uma velocidade de 160 km/h, em uma queda de razão 4 x 1 (4 metros horizontais percorridos a cada metro de queda vertical).

Juliana, esposa do também cardiologista Fabiano Carazzai, não salta desde março, pois por conta da pandemia está de repouso absoluto devido à gravidez. “É uma sensação indescritível estar no ar. Você sente que está voando, meditando, plenamente focada naquele instante, com atenção total até o momento do pouso”, relatou.

 

Sonho de pássaro

O voo de wingsuit é um esporte radical que envolve os paraquedistas que planam pelo ar usando um traje especialmente construído com tecido sob os braços e as pernas para diminuir a taxa de descida. Existem voos de alta altitude, que caem de um avião a cerca de 4.000 metros e voos de baixa altitude, que caem de penhascos pontes, entre outros. Durante um voo um piloto de wingsuit controla seus movimentos, ajustando a postura do corpo para acelerar, desacelerar e girar.

Em um voo de alta altitude, um paraquedista transporta dois sistemas de paraquedas, o principal e o auxiliar. Para se preparar para um pouso, o paraquedas é aberto a uma altura de 1.000 metros. Em um voo de baixa altitude, no entanto, um paraquedista pode planar a partir de qualquer ponto que ofereça altitude suficiente, mas com apenas um paraquedas, que pode ser aberto a uma distância mínima de 150 metros acima do solo. Semelhante ao paraquedismo, este é muito mais arriscado em cenários complexos, como desvio de rota e o súbito encontro de obstáculos. ¨Fonte O Imparcial

Detalhe: A médica,Juliana Vincenzi é dracenense e tem familiares que residem em Dracena. Foto Internet