Pesquisadores da Unifesp apresentam tratamento que pode ser a cura do HIV

222
O dracenense Ricardo Soubhie Diaz, em seu laboratório; ele e sua equipe deverão aguardar o resultado das biópsias dos pacientes vacinados para iniciar a segunda etapa da pesquisa, que consistirá em suspender os medicamentos e observar como reage o organismo daqueles voluntários(foto: Divulgação/Unifesp)

A cura da síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids) pode estar mais perto do que imaginamos! A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizou o primeiro estudo, em escala global, para testar um supertratamento em indivíduos cronicamente infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). A pesquisa está sendo coordenada pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, que é uma das referências mundiais no assunto.

De acordo com nota publicada pela Unifesp, Diaz é diretor do Laboratório de Retrovirologia do Departamento de Medicina da Escola Paulista de Medicina (EPM/ Unifesp) – Campus São Paulo.
A pesquisa contou com a participação de 30 voluntários que possuem carga viral indetectável, sob tratamento padrão, conforme o que é atualmente preconizado: a combinação de três tipos de antirretrovirais, mais conhecida como “coquetel”. Os voluntários foram divididos em seis subgrupos, recebendo, cada um deles, diferentes combinações de remédios, além do próprio “coquetel”.  Correio Brasiliense