Dracena, Domingo - 21 de Julho de 2019

VE aponta que neste ano 24 pessoas já foram picadas por escorpiões em Dracena

Especialistas em saúde assim como a Vigilância Epidemiológica local recomendam ficar atentos à limpeza de casa e dos terrenos vizinhos

 

0
38
 
 

O aparecimento de escorpiões nunca foi tão falado em praticamente todo o Brasil como agora e principalmente no Estado de São Paulo. O Ministério da Saúde divulgou no primeiro mês deste ano, que em 2018, o Brasil registrou 141.400 acidentes com escorpiões. Esse número representa um crescimento de 11,5% em relação a 2017. Na comparação com 2016, o aumento é ainda maior: 64,8%.

Em Dracena, a situação não é diferente em comparação com outras várias do Estado. Moradores dos mais variados pontos da cidade já encontraram o inseto peçonhento.

A subchefe de informação, Educação e Comunicação da Vigilância Epidemiológica (VE) de Dracena, Aline Andrade, informou a pedido do JR e Portal Regional, que de janeiro a março do ano que passou 39 pessoas foram picadas por escorpião. Neste ano, de janeiro até este mês (que ainda não terminou), o número segundo Aline, chega a 24.

Como cada um pode se proteger?

Diante de um cenário tão desfavorável, os especialistas assim como a VE recomendam ficar atentos à limpeza de casa e dos terrenos vizinhos.

Ao encontrar um animal em casa, as orientações são: não tente pegar o escorpião, isso pode causar um acidente. Mate-o e se certifique de que ele realmente morreu; não passe inseticida, pois eles não vão eliminar os escorpiões, vão fazer apenas eles se deslocarem temporariamente; não acumule lixo; não deixe louça na pia de um dia para o outro para não atrair baratas; coloque telas nas janelas e nos ralos; vede rachaduras e proteja os vãos sob as portas.

Se morar em casa, criar galinhas d’Angola é uma ótima saída, pois elas comem escorpiões.

Se você for picado, procure imediatamente o hospital mais próximo para avaliar a necessidade de recebimento do soro antiescorpiônico.

O veneno do escorpião é neurotóxico e ataca o sistema nervoso central, podendo ser letal.

Profissionais de saúde alerta que “Se nada for feito para combater a proliferação dos escorpiões, a tendência é que os acidentes aumentem em 70% nos próximos dois anos”,

Aquecimento global e aparecimento de baratas

Mas, afinal, por que o número de acidentes com escorpiões tem crescido tanto na última década? Segundo o Ministério da Saúde, ainda não há uma resposta específica e nem se pode atribuir a um único fator. Mas é fato que o aumento da temperatura global tem influenciado na reprodução da espécie.

Especialistas informa que os escorpiões gostam de ambientes quentes e úmidos. Há inúmeros estudos sendo feitos analisando o aumento da temperatura com o aparecimento dos escorpiões.

Outro fator que ajuda a proliferação dos escorpiões é o crescimento desordenado das cidades, com aumento da quantidade de lixo e entulhos. Nesses locais, há o aparecimento de baratas e onde há baratas, há escorpiões.

“Cada ser humano produz, em média, 1 kg de lixo por dia. Onde tem lixo, tem barata. E no calor, elas aparecem ainda mais. As baratas são o principal alimento dos escorpiões”, explica o biólogo Randy Baldresca, especialista no aracnídeo e consultor em controle de pragas.

Além disso, a fêmea do escorpião não precisa do macho para se reproduzir – ela entra num processo chamado partenogênese e consegue se reproduzir sozinha, liberando de 20 a 30 filhotes a cada ciclo.

IMAGENS