Dracena, Terça - 11 de Dezembro de 2018

Católicos. Paróquia Nossa Senhora Aparecida celebra 70 anos

Os fiéis poderão participar da missa em Ação de Graças pelos 70 anos de história da paróquia hoje, às 19h30

 

 

A igreja matriz é considerada o cartão postal da cidade (Foto: Lucas Mello/JR)A igreja matriz é considerada o cartão postal da cidade (Foto: Lucas Mello/JR)Portalregional

A paróquia Nossa Senhora Aparecida de Dracena comemora 70 anos de fundação – Jubileu de Vinho – hoje, com missa em Ação de Graças pelos 70 anos, presidida pelo frei Airton Carlos Grigoleto, às 19h30. As comemorações continuam na sexta-feira, 10, com missa solene do jubileu da paróquia presidida pelo bispo dom José Soares Filho (dom Egito) OFM Cap e concelebrada pelo frei Carlos Silva – ministro provincial e demais frades.

O primeiro batizado realizado na igreja foi no dia 14 de agosto de 1948, tratava-se de um bebê de três meses, Benedito, filho de Amaro Feliciano e Olandina Rodrigues.

HISTÓRICO – De acordo com informações disponíveis no site Viajando na História, Rogério Edson, a instalação da paróquia de Dracena ocorreu no dia 8 de agosto de 1948 com cerimônia em frente da pequena igreja de madeira, matriz provisória. Em janeiro de 1951, o frei Policarpo foi embora de Dracena, deixando os alicerces da matriz, construídos com recursos oriundos de campanhas e quermesses.  Em fevereiro do mesmo ano, o frei Caetano assumiu a paróquia dracenense. Esses padres, que eram paulistas, foram sendo recolhidos um a um e começava a chegada dos capuchinhos gaúchos como Caetano, Vanâncio de Alfredo Chaves e os freis Pio e Gervásio.

Enquanto isso as obras da matriz prosseguiam, com as paredes laterais sendo levantadas sobre os alicerces construídos pelos padres paulistas, que foram reforçados para a construção de uma enorme cúpula que não constava da planta primitiva. Essa cúpula ainda iria gerar muita controvérsia.

Em 7 de setembro de 1952, frei Caetano celebraria a primeira missa no interior do templo inacabado e já com seu primeiro alto-falante instalado. As obras prosseguiam e em setembro foi iniciado o madeiramento e após, a cobertura com folhas de zinco. A enorme cúpula seria, então, inaugurada dois anos depois, em janeiro de 1955, quando seria alçada ao cume da estátua de Cristo Rei com 3,50 m de altura.

Até aquela data, a igreja havia consumido 700 sacas de cimento e os fiéis eram colaboradores incansáveis, fornecendo o material e trabalhando em sistema de mutirões. Em dezembro de 1954 já chegavam notícias de que os padres paulistas voltariam à paróquia.

Frei Gervásio naturalmente lamenta, mas promete prosseguir os trabalhos “deste templo sumamente artístico e que tem do princípio ao fim, as linhas de arquitetura dos doutores e mestres da província do Sagrado Coração de Jesus, de Caxias do Sul”.

Os padres paulistas voltaram à paróquia Nossa Senhora Aparecida em fevereiro de 1956, através do pároco frei Geraldo Piraju, frei Eugênio Tomazella, Fernando Fachini e Victor de Martignano. A região da Nova Alta Paulista recebeu grande contingente de religiosos.

Em julho daquele ano, foram desmembradas de Dracena e criadas as paróquias de Paulicéia, Ouro Verde, Panorama e Santa Mercedes. Surgiram as capelas de Paulópolis, Darcilândia, Junqueirópolis, Monte Castelo, Nova Guataporanga, São João do Pau D’Alho, Jamaica, Jaciporã e Marrequinha.

IMAGENS